Brasileiros acreditam que as empresas fabricantes devem ser as responsáveis pelas informações nutricionais nos rótulos, diz pesquisa

Pesquisa realizada em novembro revelou que 43% dos brasileiros acreditam nas empresas fabricantes como as responsáveis por passar informações nutricionais sobre os alimentos e bebidas aos consumidores. O DataPoder360 ouviu 2133 pessoas em 192 municípios, a partir de amostragem representativa de toda a população brasileira, sobre informações nutricionais contidas nas embalagens de alimentos e bebidas.

A pesquisa demonstrou ainda o grande interesse da população em compreender o valor nutricional dos alimentos que consomem. Apesar da maioria (62%) afirmar que lê os rótulos apenas “de vez em quando”, 79% dos brasileiros têm interesse em conhecer melhor os produtos que consomem. A pesquisa do Data Poder 360 trouxe, ainda, interesse da população (65%) por uma tecnologia, seja site ou aplicativo, que possua informações detalhadas sobre componentes nutricionais dos alimentos e bebidas, facilitando a escolha mais acertada de acordo com o estilo de vida e consumo de cada cidadão.

Os dados vão ao encontro de pesquisa realizada pelo IBOPE e divulgada recentemente, que revelou que aproximadamente 3/4 da população procura, de modo geral, informações nas embalagens para auxiliar na escolha dos produtos.  Para isso, elegeram o modelo do semáforo, que utiliza cores, com informação por porção e medida caseira, como facilitador da compreensão das questões nutricionais.

O modelo é defendido pelo setor produtivo, por meio da Rede de Rotulagem, que reúne 18 associações de indústrias de alimentos e bebidas e busca informar e empoderar o consumidor. Foi desenvolvido com base em diversos trabalhos, numa análise do cenário mundial e em revisão bibliográfica realizada pelo Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação – NEPA, da UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas. O semáforo nutricional indica, por porção, a quantidade de sódio, açúcares totais e gordura saturada, coloridos em verde, amarelo e vermelho. A cor verde demonstra que os níveis do nutriente em questão (açúcar, gordura saturada ou sódio) são considerados baixos ou adequados para o consumo do alimento na porção quando associado a uma alimentação equilibrada.

A cor amarela demonstra que os níveis do nutriente merecem atenção, pois sinalizam que um consumo acima da porção recomendada pode comprometer o equilíbrio da alimentação diária. A cor vermelha demonstra que os níveis do nutriente são considerados altos na porção recomendada e por isso devem ter uma atenção maior de consumo, quando associados a uma alimentação equilibrada. “A indústria brasileira de refrigerantes e bebidas não alcoólicas integra-se ao debate sobre a modernização da rotulagem nutricional brasileira trazendo informações e pesquisas que ajudem a criar um modelo ainda melhor e mais acessível para o consumidor, para a população.”, afirma o presidente da Associação de Refrigerantes e Bebidas Não Alcoólicas (ABIR).

Confira a pesquisa na íntegra.